MP investiga exoneração em massa na prefeitura para contratar fiéis - Política | Valter Vieira - Informação de qualidade
20 de julho de 2018
MIN MAX
Envie fotos e vídeos
para nosso WhatsApp
75 99120-3503

Notícias

POLÍTICA - 12/07/2018

MP investiga exoneração em massa na prefeitura para contratar fiéis

MP investiga exoneração em massa na prefeitura para contratar fiéis

Além da denúncia apresentada à Justiça do Rio por atos de improbidade administrativa do prefeito Marcelo Crivella (PRB), o Ministério Público do estado apura exoneração em massa de servidores da prefeitura para contratação de pessoas ligadas à Igreja Universal do Reino de Deus. Tal situação é apurada nas secretarias da Casa Civil, Assistência Social, Educação e Cultura, além da Fundação de Parques e Jardins.

“Chegaram representações no sentido de que houve demissão em massa de pessoas ocupantes de cargos comissionados em algumas pastas e a readmissão de pessoas de confiança do prefeito. Essas representações apontavam que esses novos comissionados seriam da igreja evangélica a qual pertence o prefeito”, disse a promotora Gláucia Maria da Costa Santana durante coletiva de imprensa realizada nesta quinta-feira (12).

A promotora lembrou que cargos comissionados são de livre nomeação do prefeito. Todavia, o que o MP pretende é investigar se Crivella tem descumprido o princípio de laicidade do estado, nomeando pessoas ligadas à sua religião para o desempenho de funções públicas.

“Parece que ele [o prefeito] quis fazer uma reordenação. A notícia que vem é que poderia estar havendo também um alinhamento religioso na ocupação, um empoderamento da igreja dentro dos órgãos da prefeitura”, ressaltou Glaucia Santana.

Ofícios já foram enviados para as secretarias da Casa Civil, Educação, Cultura e Assistência Social, além da Fundação de Parques e Jardins, pedindo a relação completa das pessoas que foram exoneradas e, também, a das que foram nomeadas na sequência. “Tem pastas onde essa exoneração foi feita em massa, em pacote fechado com um só decreto, destacou a promotora.

Essa denúncia não faz parte da ação civil pública apresentada pelo MP à Justiça por atos de improbidade administrativa do prefeito. Isso porque, segundo a promotora, ainda não se sabe se é verdadeira a informação sobre as exonerações em massa para nomeação de membros da igreja.

“Vamos fazer essa conferência se há ou não essa influência de pessoas de perfil evangélico na prefeitura e vamos apurar como essas pessoas estão atuando”, disse a promotora Gláucia Santana.

‘Extensão dos templos da Igreja'

Para o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ), Marcelo Crivella fez de escolas e outros espaços públicos da cidade uma "extensão dos templos da Igreja Universal do Reino de Deus". A promotoria afirma considerou que a reunião secreta com pastores e líderes da igreja no Palácio da Cidade "é prova cabal" de que o prefeito descumpre as normas do estado laico.

Tais afirmações constam na ação civil pública apresentada pelo MP à Justiça na qual Crivella é denunciado por ato de improbidade administrativa. No documento de 45 páginas, os promotores relembram, além da reunião secreta promovida no Palácio da Cidade, outros oito casos em que a máquina pública foi usada pela Igreja Universal, dentre eles eventos em escolas da rede municipal com "atendimento espiritual".

Ministério Público do RJ denuncia prefeito Crivella por improbidade administrativa

Os eventos foram realizados no ano passado no CIEP Gustavo Capanema, na Maré, Zona Norte, e na Escola Municipal Joaquim Abílio Borges, no Humaitá, na Zona Sul. O MP apresentou à Justiça foto de um banner instalado no colégio do Humaitá que, sob a logomarca da Igreja Universal, estavam listados os serviços oferecidos durante a ação social.

Evento da Igreja Universal em escolas públicas oferecia atendimento espiritual dentre outros serviços (Foto: Reprodução/MP-RJ)Evento da Igreja Universal em escolas públicas oferecia atendimento espiritual dentre outros serviços (Foto: Reprodução/MP-RJ)

Evento da Igreja Universal em escolas públicas oferecia atendimento espiritual dentre outros serviços (Foto: Reprodução/MP-RJ)

As diretoras das duas escolas foram intimadas pelo MP a prestar esclarecimentos sobre o caso. Ambas afirmaram que a cessão do espaço foi determinada pelas respectiva

Enquete

Você concorda com a reforma da previdência?

*Enquete encerrada.
  • 3%
  • 24%
  • 74%