Um dos lutadores mais vitoriosos da Bahia, Marcote estreia no MMA japonês no domingo - Esporte | Valter Vieira - Informação de qualidade
17 de dezembro de 2018
MIN MAX
Envie fotos e vídeos
para nosso WhatsApp
75 99120-3503

Notícias

ESPORTE - 04/08/2018

Um dos lutadores mais vitoriosos da Bahia, Marcote estreia no MMA japonês no domingo

Um dos lutadores mais vitoriosos da Bahia, Marcote estreia no MMA japonês no domingo

O lutador de MMA Marcus Amaral, mais conhecido como Marcote, vai fazer sua estreia num dos principais eventos do Japão da modalidade, o Pancrase 298. No torneio, o baiano de 25 anos vai encarar o japonês Ryo Hatta. A luta, válida pelo peso-palha (até 52,2kg), acontece neste domingo (5). Durante o processo de corte de peso, ele conversou com a reportagem do Bahia Notícias, falou da expectativa para o combate e fez uma análise do adversário.

 

"O Pancrase MMA é o maior e mais antigo evento do Japão", declarou. "Essa luta vamos manter em pé e tentar nocautear. Hatta é um adversário com um jogo de jiu-jitsu muito forte. Não posso me desligar na luta em momento nenhum", completou.

Foto: Divulgação

 

Baiano da gema, Marcote foi criado no bairro do Cabula, em Salvador. Ele começou a praticar jiu-jitsu com 12 anos de idade por incentivo dos colegas que já treinavam a luta. "Após me destacar em algumas competições de jiu-jitsu, conheci o meu treinador principal de MMA, o Renato Castro. Foi ele que me levou ao limite físico e técnico para ser um grande profissional", lembrou.

 

Agora faixa preta de jiu-jitsu e treinando forte o muaythai, Marcote se prepara para tentar realizar o sonho de chegar no UFC, maior organização de MMA do mundo. Nascido em Salvador, ele treina na academia Nordeste Jiu Jitsu MMA / Rhinno Muaythai e quer fazer bonito no torneio japonês para usar de trampolim para ter acesso ao "Olimpo" das lutas marciais. "O Pancrase MMA é tipo uma seletiva. Espero ser campeão no Pancrase e no futuro próximo assinar contrato com o UFC", projetou. Inclusive alguns dos maiores ídolos de Marcote são justamente campeões do UFC, como o brasileiro Anderson Silva, o Spider, e o irlandês Conor McGreggor. Além deles, o baiano também admira o nigeriano Israel Adesanya, que estreou na maior organização do mundo no último mês de fevereiro, no UFC 221, em que venceu o australiano Rob Wilkinson. E também é fã do conterrâneo e parceiro de treino Rodrigo Lídio.

 

Marcote tem traçado uma carreira vitoriosa. Ele começou a lutar há cinco anos e venceu 13 das 14 lutas que fez, contando apenas com uma derrota no seu cartel. No mês de abril deste ano, foi eleito o melhor lutador dos pesos-palha do mundo pelo site "Fight Matrix". Ele lembrou a sensação que teve na época em que soube do resultado. "Sem dúvidas é um reconhecimento que me deixa muito emocionado. Chegar a ser o melhor do mundo apenas lutando no meu país. É um fato histórico e tenho certeza que ficará marcado para o resto da vida", vibrou. Na época, ele ainda não tinha lutado no exterior, experiência pela qual passará pela primeira vez neste domingo em solo japonês. "Eu estou muito feliz aqui no Japão, as pessoas sabem quem sou eu", comentou. Reconhecido do outro lado do mundo, ele lamenta não ter o mesmo tratamento na Bahia, principalmente na questão do apoio para seguir no esporte. "Creio que hoje que sou o atleta da Bahia com o maior número de vitórias consecutivas. É difícil entender, porque o nosso governo não apoia, nosso povo não valoriza... Mas continuo fazendo o meu".

Foto: Divulgação

 

Em meio às dificuldades, Marcote está conseguindo sobreviver como lutador profissional. Inclusive, para conseguir viajar para o Japão, recorreu à ajuda financeira de familiares e amigos. "Hoje eu sou só atleta de MMA profissional. Mas tive que batalhar muito para estar aqui hoje, para conseguir patrocinadores. Minha família, meus amigos de treino, a maioria dos amigos de infância fizeram uma vaquinha para ajudar e me fizeram chegar até aqui (no Japão)", afirmou.

 

Foto: Divulgação/ BN

Enquete

Você concorda com a reforma da previdência?

*Enquete encerrada.
  • 3%
  • 24%
  • 74%